domingo, 30 de setembro de 2007

Monty Phyton football

Beckenbauer obviously a bit of a surprise there...

Any melancholic sunday

Felizmente há uns tempos que não tinha um, o verão e os fins-de-semana ocupados para isso contribuíram, infelizmente com a chuva regressou esse fatídico domingo melancólico...

Kill Bill vol 1

Finalmente vi! E naturalmente gostei do 4º filme de Tarantino... Adorei a parte de animação Japonesa bem como a banda sonora, Uma Thurman nasceu para fazer filmes de Tarantino, agora vou ver a segunda parte do filme!

sábado, 29 de setembro de 2007

As meninas de Velasquez... e Picasso

Gosto!

Planet Terror

de Robert Rodriguez... Estou curioso! Ao que parece e espero não estar a dizer uma barbaridade, a estreia em Portugal é só no dia 4 de Outubro ao contrário do que eu disse há uns meses quando publicitei a estreia para 27 deste mês...

Time Out Lisboa

Nunca li uma Time Out de outra capital Europeia, mas estou ansioso por ver este guia cultural que desde 26 de Setembro está à venda também em Lisboa!

Lindo...

Santa estupidez!

Qualquer música

Qualquer música, ah, qualquer, Logo que me tire da alma Esta incerteza que quer Qualquer impossível calma! Qualquer música - guitarra, Viola, harmônio, realejo... Um canto que se desgarra... Um sonho em que nada vejo... Qualquer coisa que não vida! Jota, fado, a confusão Da última dança vivida... Que eu não sinta o coração! Fernando Pessoa, 1928

O exército de Deus (Prophecy)

Mais um que apenas vi o primeiro, mas este porque ainda não consegui encontrar os outros dois, excelente filme! Christopher Walken...

From dust till dawn...o primeiro

porque foi o único que vi, isto porque quando tentei alugar o 2 e 3 o senhor do clube de vídeo practicamente me espancou para não o fazer... e não fiz! Confiei no julgamento do senhor, lembro-me pouco deste Aberto até de Madrugada, do que me recordo sei que é muito marado ou não tivesse a mão de Rodriguez e Tarantino, tenho a noção que apesar de ser muito atrofiado gostei muito e quero rever, e desta vez, e correndo o risco do senhor do clube de vídeo descobrir e fazer-me uma espera, também quero ver os outros dois para fazer o meu julgamento, até já estive quase para comprar a colecção na F..C, e talvez o faça ainda...

Os Fantasmas de Goya

de Milos Forman. A disputa travada entre a resistência da Inquisição Espanhola e a Invasão Francesa aparece aqui retratada de uma forma crua e brutalmente simples. Enquanto a inquisição em Espanha volta ao auge dos seus métodos persecutórios com os seus "interrogatórios" para tentar evitar o 'mal' que se apodera do mundo, a revolução francesa entra em França e naturalmente a arma da Igreja é um dos principais alvos a abater.
Natalie Portman e Javier Bardem com duas excelentes interpretações e Stellan Skarsgård no papel de Francisco Goya também com um bom papel.
Um filme em muitas partes chocante, capaz de levar às lágrimas, mas que recomendo vivamente, mais um importante documento histórico sobre mais um dos repugnantes momentos da humanidade.

Golinho pequenino

video

Se as camisolas fossem outras este era um dos melhores golos de sempre...

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Um dia refrescante

À partida para este dia podia esperar uma jornada com stress, difícil de cumprir dentro dos horários que me condicionavam e muito cansativa. Felizmente enganei-me, apesar das 12 horas em que practicamente não parei desde que saí de casa até voltar, este dia foi uma agradável surpresa...
O itenerário era partir em direcção a Mafra, seguir para Molelos, depois Albergaria-a-Velha e por fim ir até Coimbra. No fim da viagem tinha percorrido 714 quilómetros e felizmente consegui chegar a Coimbra mesmo em cima da hora. Ontem tinha passado um dia muito enervante, com discussões no trabalho, problemas, só treta! Mas hoje quando entrei no IP3 e comecei a apreciar aquelas paisagens... que calma! Que paz na alma! Por mais de uma vez me apeteceu parar e simplesmente fazer parte daquela paisagem, alheia ao stress e aos problemas pequenos provocados por pessoas pequenas. E por algumas horas, mesmo não podendo sair e inserir-me de corpo e mente nessa calma, consegui fazê-lo enquanto conduzia, enquanto pensava.
O caminho é lindo, a envolvência das árvores que em certos sítios parecem fazer um tubo à nossa volta é fantástica, o seu cheiro, indescritível... Durante a viagem recuperei a frescura que uma semana difícil de trabalho me foi roubando, ou melhor, a frescura que fui entregando por me dar a esses problemas e não os colocar no devido lugar. A companhia da Antena 1 foi agradável, a Chanfana ao almoço apressado estava muito boa e a broa, hum, deliro por broa...
Que país...

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Os Lobos voltaram

Esta tarde regressou a selecção Portuguesa de Râguebi depois da prestação no Mundial. Pelo que ouvi na rádio tiveram uma boa recepção, eles merecem! Ouvi o nosso Hino a ser cantado no aeroporto, deve ter sido bonito para a comitiva! Ouvi o capitão Vasco Uva dizer que teve de parar e olhar bem porque estava arrepiado, fico feliz. Ontem vibrei com o jogo frente à Roménia, foi por pouco que não conseguimos uma vitória histórica, mas gostei de ver.
.
Adorei e delirei quando ouvi o estádio todo a cantar o meu Verde Vinho, que espectáculo! Que país!
..

Ninguém na rua, na noite fria Só eu e o luar Voltava a casa quando vi que havia Luz num velho bar Não hesitei, Fazia frio, nele entrei Estando tão longe da minha terra Tive a sensação De ter entrado numa taberna De Braga ou Monção E um homem velho se acercou E assim falou Vamos brindar Com vinho verde Que é do meu Portugal E o vinho verde Me fará recordar A aldeia branca que deixei Atrás do mar Vamos brindar Com verde vinho P’ra que possa cantar Canções do Minho Que me fazem sonhar Com o momento de voltar Ao lar Falou-me então daquele dia triste O velho Luís Em que deixara tudo quanto existe P’ra o fazer feliz A noiva, a mãe A casa, o pai, e o cão também Pensando agora naquela cena Que na estranja vi Recordo a mágoa, recordo a pena Que com ele vivi Bom português Regressa breve e vem de vez

terça-feira, 25 de setembro de 2007

domingo, 23 de setembro de 2007

Paizinho

Depois da simbólica indemnização do Mr. Roman, apetece-me pegar na deixa do anúncio e aparecer à porta do Zé e chamar-lhe... Paizinho!!!!

Essa entente - Dança nua

Tão perto daquela antiga avenida passeiam as moças da noite que hão-de chamar ao meio das pernas os olhares que passam Uma quer levar-me, mas eu não vou ficar Apenas vou sorrir, passar Desço ao cais onde o brilho da ponte ilumina um bar tão vazio Mas sei que tão cheio vai ficar por mil tragos, avancem Uns para o meu lado, outros para a frente Vamos lá rapazes por mil tragos cantar REFRÃO (2x): Eram já três, venham mais duas As damas ao meio p'ra dança nua E uma volta a entornar, e outra voz a cantar Trocam-se os passos no ar, esperem ainda que... Olhos inchados, descanso no cais à beira de um barco esquecido que tal como eu já foi tão forte mas feliz só esta noite Leva-me contigo, dentro de ti para depois voltar ao bar e por mil tragos cantar REFRÃO (4x)

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Encontro-me...

Até breve...

terça-feira, 18 de setembro de 2007

domingo, 16 de setembro de 2007

Dois momentos arrepiantes

Digam os pseudo-intelectuais desses chamados eixos do mal o que disserem, vocês são os maiores e quem ache que não é digno de festejo os vossos ensaios frente aos All Blacks ou mesmo à Escócia é porque não compreende a emoção do desporto, seja futebol, râguebi ou qualquer outra modalidade. Há quem nao vibre com desporto, respeito. Mas peço que respeitem os que vibram e não desvalorizem nem ridicularizem os sentimentos dos outros. Certamente vocês também estarão bem atrás de outros comentadores... Pelo menos aqueles rapazes do Râguebi são do melhor que temos, vocês... bem longe disso!

O que há em mim é sobretudo cansaço...

Agora sim Álvaro, posso dizê-lo... Hehehe, eu e todos os colegas do Depor que este sábado fizeram 7 joguinhos, à boa moda antiga... Pois é, foi bom jogar o primeiro, o segundo foi engraçado, ao terceiro, ui, já doía um pouco, os restantes não custaram muito, foi uma só dor interminável em todos os pontos do corpo com sensibilidade...
Mas valeu a pena, excelente espírito o deste grupo, que grupo...

Kill Bill

Ando com esta música na cabeça... Tenho mesmo de ver os filmes...

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Entretanto...

Pois é, como podem ver pelos posts anteriores andei ocupado e acabei por colocar de parte Carandiru, mas ainda está à mão, e é bem interessante. Só que por agora vai competindo com Osho, Júlio Machado Vaz que está mesmo no fim e Miguel Esteves Cardoso... Para não falar na tetralogia Portugal Esotérico que já tenho completa e vou dando uma olhada...

A Noiva Judia, de Pedro Paixao

Este é o primeiro livro de ficção de Pedro Paixão.Não conhecia este escritor, achei muito interessante e quero ler mais! Pequenas histórias muito interessantes mesmo! Tinha umas quantas citações que ficavam aqui bem mas vou respeitar o sublinhado no livro... É questão de lerem.

A Face Oculta de Mr Brooks

Surpreendente! Não era bem disto que eu estava à espera, gostei de ver o filme pela perspectiva do assassino! Mr Costner a dar mais uma prova da sua versatilidade e qualidade!

Magnolia...

Idem... Depois de muito me falarem neste filme acabei por ver e não me arrependi, é genial! E esta música... Não vale a pena falar sobre este filme, só vendo...

A Cor Púrpura

Como é possível ter demorado tanto a ver este filme?... Dirigido pelo mestre Spielberg, 11 nomeações para Óscar e grandes interpretações de Oprah, Whoopi Goldberg e Danny Glover. Baseado num romance de Alice Walker, prémio Pulitzer, que vou ter de ler, óbvio... Que excelente filme...

Tim Burton, A Morte Melancólica do Rapaz Ostra e Outras Estórias

Outras Estórias? Ahhhhhh!
Peço desculpa... Muito giro este livro que se consome em pouco tempo, pequenas histórias típicas do Autor com a ilustração a condizer. Quero ler a versão original pois deve valer a pena!

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Espectacular...

Sem palavras...

Porque este mês ainda não coloquei aqui Monty Phyton...

Esta é uma excelente cena, Michelangelo a tentar explicar ao Papa a sua liberdade artística na última ceia, uma última ceia com 28 discipúlos, 1 canguru e 3 Cristos teria de ser uma Grande Última Ceia...

Já agora, está à venda a colecção completa de flying circus, que preciosidade...

Lost in Translation (quem ainda não viu o filme não veja o vídeo...)

E não é que à segunda gostei muito...

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Tá quaiseeee!!!!

É já no próximo sábado que o Grandioso Desportivo de Lisboa se vai estrear oficialmente no torneio 12 horas em Odivelas! Após a sua criação em maio deste ano, vamos agora fazer os primeiros e tão desejados jogos a valer e se possível, trazer o caneco logo no torneio de estreia!
Para acompanhar não deixem de visitar os sites oficiais http://desportivolisboa.no.sapo.pt e http://omeuclube.org/desportivolisboa/ onde estarão os resultados e comentários!
Todos por el Depor

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

A lágrima caiu...

Arrepiante, de levar às lágrimas, lindo, impossível ficar indiferente... Obrigado pela lição de humildade!

domingo, 9 de setembro de 2007

Lopez e Cátia

Muitas felicidades Lopez e Cátia! Foi um excelente dia o do vosso casamento, magnífico ver as vossas caras de felicidade! Como disse o diácono, namorem muito, guardem os vossos 10 minutos... Beijos e abraços enormes para os dois!
P.S. Estou a pensar escrever uma HISTÓRIA (lol) sobre isso dos 10 minutos de namoro, mas surgirá no outro blog...

História ou estória

Surgiu hoje uma dúvida que é comum aparecer. Existirá história e estória ou não? Várias opiniões foram apresentadas, ninguém estava certo do que afirmava, por esse motivo fui forçado a procurar a resposta quando cheguei a casa. O problema é que não encontrei.
.
Primeiro procurei num dicionário que tenho cá em casa, com alguns anos e a palavra estória não aparece. Esse poderia ser um argumento a favor dos que defendiam a sua inexistência, mas um dos seus pontos indicava para um recente aparecimento desta palavra, importada do português falado no Brasil que por sua vez tinha feito uma adaptação das palavras Story e History.
.
Não satisfeito continuei a procurar na net e encontrei as seguintes explicações que aqui transcrevo para não apresentar os argumentos como meus:
.
"A palavra estória surgiu para distinguir a ficção de factos reais. Assim, vimos aparecer a estória da Carochinha. Estória era uma forma antiga de escrever a palavra história e agora parece ter sido recuperada. A razão do seu reaparecimento na nossa linguagem escrita ainda não reúne o consenso dos estudiosos destas questões da língua. Uns pensam tratar-se de uma influência do português do Brasil, outros uma tentativa de copiar a distinção inglesa story/history. Independentemente do modo como apareceu, importa dizer que não aparece na maioria dos dicionários de língua portuguesa. Quanto a mim, parece-me que se trata de uma moda, pois não vejo a necessidade de usar uma outra palavra já que sempre distinguimos a história (factos ficcionais) da História (factos históricos). E até me dizerem o contrário, vou continuar a falar da história da Carochinha." tirado de http://embomportugues.blogs.sapo.pt/
No dicionário on-line da Texto Editores a palavra estória não consta.
-
"Os vocábulos “estória” e “história” Não existe diferença significativa entre os vocábulos “estória” e “história”, que partilham a mesma etimologia (do grego ‘historía’). Contudo, “estória” é a grafia antiga de “história” que, entretanto, caiu em desuso no português falado em Portugal. Por conseguinte, este vocábulo não aparece registado nos mais recentes dicionários de língua portuguesa editados em português de Portugal. Porém, ainda o podemos encontrar no Michaelis. Moderno Dicionário da Língua Portuguesa, editado em São Paulo (em 2002), com um significado diferente de “história”. Estória (segundo Michaelis): 1) Narrativa de lendas, contos tradicionais de ficção. *estória em quadradinhos = série de desenhos, em uma série de quadros, que representam uma estória, com legendas ou sem elas. **estória da carochinha = conto da carochinha *** estória do arco da velha = coisas inverosímeis, inacreditáveis. **** estória para boi dormir = conversa enfadonha, com intuito de enganar. ***** deixar-se de estórias = evitar rodeios, indo logo ao ponto principal. No que se refere aos dicionários mais recentes editados em Portugal, todas as acepções supra-referidas são parte integrante da entrada “história”. História 1) Narração ordenada, escrita dos acontecimentos e actividades humanas ocorridas no passado. 2) Ramo da ciência que se ocupa de registar cronologicamente, apreciar e explicar os factos do passado da humanidade em geral, e das diversas nações, países e localidades em particular. 3) O futuro, considerado como juiz das acções humanas (ex: A história o julgará.) 4) Biografia de uma personagem célebre. 5) Exposição de factos, sucessos e particularidades relativas a determinado objecto digno de atenção pública. 6) Narração de uma aventura particular" esta é a explicação apresentada em http://corrector.blogs.sapo.pt
-
Para terminar mostro esta explicação que aparece em http://www.sualingua.com.br/08/08_estoria.htm O texto aqui nao está completo mas podem clicar no link e ver todo: "...Foi João Ribeiro, forte conhecedor de nosso idioma, quem propôs a adoção do termo estória, em 1919, para designar, no campo do Folclore, a narrativa popular, o conto tradicional, objeto de estudo dos especialistas daquela área. E não se tratava de inventar, mas sim de reabilitar (hoje usariam o horrendo resgatar...) uma forma arcaica, comum nos manuscritos medievais de Portugal. Era uma ingênua proposta, paroquial, nascida da inveja compreensível que causa a distinção story - history do Inglês; sem ela, alega o próprio Luís da Câmara Cascudo - para mim, um dos escritores que mais contribuíram para nossa língua -, não se pode entender frases como "Stories are not History", ou títulos como "The History of a Folk Story". Que o mestre Cascudo me perdoe: a intenção era boa, mas sem nenhum fundamento lingüístico. .. ;
-
...Infelizmente, como nos piores pesadelos dos ecologistas, estória rompeu as cercas de segurança, saiu do pequeno rincão do Folclore e invadiu nossas vidas. O responsável por isso foi João Guimarães Rosa (pudera não!). Como escreve meu mestre Celso Pedro Luft, com uma ponta de inesperada ironia, Rosa decidiu "glorificar, imortalizar a ausência do agá: Primeiras Estórias. Corriam os anos de 1962. Primeiras estórias ... todos os fãs do mineiro imortal ficaram absolutamente alucinados. E foi estória para cá, estória para lá, estória para todos os lados. Uma epidemia. Perdão, uma glória". Depois, em 1967 veio Tutaméia, com o subtítulo "Terceiras Estórias", e o póstumo Estas Estórias, publicado em 1969. Muito tem sido escrito sobre a inovação da linguagem rosiana; a sintaxe de seu narrador é, a meu ver, a criação literária do século. No entanto, sou obrigado a observar que, em termos não-literários, essa inovação é zero. Nenhuma das palavras montadas, deformadas ou inventadas por ele jamais será usada, a não ser por imitadores (que já andam escasseando...). É uma linguagem só dele; funciona admiravelmente no universo de sua obra, mas é seu instrumento pessoal, e nunca será nosso. Ouso dizer que a única influência rosiana no Português foi a divulgação desse equívoco que é estória. Tenho certeza de que Guimarães Rosa, místico de quatro costados, entenderia: deve ser vingança dos deuses da Língua. "
-
Espero que as explicações que copiei para aqui ajudem a esclarecer, eu fiquei pouco esclarecido mas vou deixar de utilizar a estória e passar a escrever apenas histórias...

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Cinderela

mais uma da banda-sonora...

Walk away - Ben Harper

Que música...

Lobos

Força Lobos!

Não acompanho assiduamente a modalidade mas pela primeira vez Portugal está presente num Mundial de Râguebi e isso é digno de nota! Também somos a única selecção amadora presente o que é a prova que estes Lobos com o Mourinho do râguebi ao leme são os maiores!
Força pessoal, espero que mostrem ao mundo do que somos feitos, certamente vão dignificar a bandeira! Não haverá Haka que cale o nosso “Arraial, Arraial, Arraial, por São Jorge de Portugal!”

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Sr Secretário de Estado

Exmo. Senhor Laurentino Dias, ouvi uma declaração sua recentemente onde afirmou que os atletas portugueses têem por hábito aproveitar as grandes conquistas para reclamar condições. Talvez seja verdade, mas se tentar fazer um esforço mental poderá rapidamente perceber que essa é a única altura onde desportistas portugueses que não sejam futebolistas são prendados com tempo de antena e assim são obrigados a aproveitar os momentos em que mereciam estar a festejar para reclamar aquilo que é seu por direito, condições de trabalho...
.
Pois é, é triste mas é verdade, gostava que me dissessem onde está arrumada a pista que foi utilizada nos mundiais de pista coberta de 2001 no pavilhão atlântico... Mas estádios é sempre a aviar cartucho, perdoem-me a expressão!
.
Por favor, já que não dão condições às modalidades 'amadoras', pelo menos não ofendam os seus praticantes com afirmações destas... É que se é verdade que os atletas aproveitam os pódios para fazer barulho, não é menos verdade que coladinhos às suas conquistas estão sempre os que pouco ou nada fizeram por isso...

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Esta ficou bem na banda sonora da viagem

Senhora da minha fé sabes como é ter recordações Quantas vezes te chamei, quantas te rezei minhas orações Quero ver a minha terra Senhora Para ver a minha gente sonhar Senhora da minha luz, a que me conduz onde posso ir Cada dia aqui me tens, cada dia vens ouvir-me pedir Quero ver a minha terra Senhora Para ver a minha gente sorrir É bonita a minha terra e agora, ai agora Esconder esta saudade é mentir REFRÃO: E lá longe, lá longe, Senhora Há pessoas que eu quero abraçar De tão longe viemos embora E dói muito partir sem voltar De tão longe viemos embora E dói muito partir sem voltar Senhora da minha esperança que não se cansa de me dizer Que sonhar só tem valor onde houver amor para se viver Quero ver a minha terra Senhora Para ver a minha gente crescer É bonita a minha terra e agora, ai agora Conhecer esta saudade é morrer
Carlos Paião - Lá Longe Senhora

Fim-de-semana nos Pirinéus

Partimos sábado de manhã, o avião chegou a Barcelona por volta das 13:00H, hora local, pegámos no carro de aluguer e 300 kms depois, com uma paragem na Sopera pelo meio, estávamos em Caldes de Boí, para visitar uma amiga que longe de tudo e de todos os que lhe são queridos nos aguardava. Apenas uma noite e o dia de Domingo para estarmos todos juntos, mas valeu mesmo a pena, como disseste, foi muito especial, creio que é a melhor descrição daqueles breves mas ricos momentos...
Entre lágrimas, abraços e palavras de apoio voltámos, o nó na garganta generalizado, mas a crença que este pequeno gesto serviu para dar uma forcinha... És a maior. Força!